Home

Torre Verde_Rocinha

Laboratório de Economia Circular

Nos últimos anos, o impacto das empresas no meio ambiente ficou ainda mais evidente e a cobrança por ações de sustentabilidade tem se tornado cada vez maior, fazendo com que as instituições ampliem suas perspectivas para além das métricas financeiras e passem a considerar seus impactos financeiros, sociais e ambientais. Os pilares do ESG passaram a ser fundamentais nas análises de risco e nas tomadas de decisões dos investidores, tornando-se uma forma de definir se as operações das empresas são socialmente responsáveis, sustentáveis e corretamente gerenciadas.

 

A TORRE VERDE_ROCINHA é um projeto de inovação tecnológica que inclui geração de energia verde através de placas solares, transformação de resíduos orgânicos em adubo através de um processo de aceleração de compostagem e o desenvolvimento de hortas comunitárias, reunidos em um único local.


O projeto TORRE VERDE_ROCINHA é fomentado pela FAPERJ através do Programa Favela Inteligente em apoio as bases do Parque de Inovação Social e Sustentável na Rocinha, que faz parte de uma rede integrada que inclui Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Emprego e Relações Internacionais (SEDEERI), Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS) e Secretaria Municipal de Educação (SME) do Rio de Janeiro.


A TORRE VERDE_ROCINHA está localizada no terreno das escolas municipais CIEP Bento Rubião e Luiz Paulo Horta e consiste em uma estrutura metálica com 4 pavimentos dividida da seguinte forma:

- Nível térreo: dividido em três compartimentos separados que abrigam: 1. aceleradora e trituradora para os resíduos orgânicos; 2. depósito para os resíduos inorgânicos (recicláveis); e 3. compartimento para guarda de materiais e equipamento de automação da torre (placas solares, iluminação e irrigação);

- Nível +2,50m: acesso à Torre e área para manuseio de mudas e adubo;

- Níveis + 5,00m; +7,50m: produção de alimentos orgânicos;

- Nível +10,00m: produção de alimentos orgânicos + caixas d’água (quatro caixas de 500l cada);

- Nível +12,50m: placas solares (9 placas medindo aproximadamente 2x1m).


Este é um projeto piloto que tem como objetivo o teste do produto viável mínimo (MVP) de uma tecnologia social que poderá ser replicada em maior escala de acordo com o sucesso deste projeto. Com a implantação de mais Torres, nós seremos capazes de entrar para o mercado de produção e comercialização de créditos de carbono. A estimativa de redução de resíduo orgânico da TORRE VERDE_ROCINHA é de 135 kg/dia, equivalente a 4 toneladas mensais. Considerando que 1 tonelada de carbono removido do meio ambiente é o equivalente a 1 crédito de carbono, nossa torre verde será capaz de gerar diretamente 4 créditos por mês ou 48 créditos por ano.


Parceiros

Para o desenvolvimento deste projeto contamos com o consórcio público-privado formado pela ENTRELACES - Associação Brasileira de Pesquisa e Projetos em Educação (www.entrelaces.org.br), apoio técnico da AAA_Azevedo Agência de Arquitetura (autor do projeto do Mercado Popular da Rocinha – www.aaa.com.br), ATUAÇÃO AMBIENTAL AMB TECH Gerenciamento de Resíduos, grupo Minha Coleta (responsável pela automação de resultados) e o Centro de Responsabilidade Socioambiental da Escola Nacional de Botânica Tropical do Jardim Botânico do Rio de Janeiro (responsável pela elaboração da pesquisa modelo de EcoAgronomia Pedagógica das Hortas Suspensas e pela implantação de projetos pedagógicos ambientais).


Objetivos e metas propostas

1. Assimilação dos processos produtivos existentes na Torre Verde por parte dos alunos, familiares, professores, diretores, funcionários e todos aqueles que estejam a uma distância de até 300 metros da Torre;

2. Integração de modelos de produção/transformação em um único local. Teste do MVP de inovação tecnológica de um hub de geração de energia verde, captação de água de chuva, transformação de resíduos em substratos orgânicos e produção de alimentos reunidos em um único ponto;

3. Minimizar os impactos ambientais na disposição final de resíduos orgânicos (diretamente) e inorgânicos (indiretamente), uma vez que a coleta seletiva diminui a quantidade de resíduos descartados de forma inadequada em encostas e terrenos baldios (de acordo com o Ministério do Meio Ambiente, entre 50% e 60% do lixo produzido diariamente no Brasil é lixo orgânico);

4. Reduzir o volume de lixo coletado encaminhado pela municipalidade para os aterros sanitários;

5. Transformação de resíduos orgânicos em substrato orgânico (adubo) através de um processo de aceleração de compostagem;

6. Disseminação dos princípios da economia circular e a importância dos 3R’s (Reduzir, Reutilizar e Reciclar), que são os pilares do nosso projeto;

7. Geração de energia verde através de placas solares;

8. Desenvolvimento de um modelo de subsistência através de hortas comunitárias para os moradores da Rocinha;

9. Produção de alimentos sem agrotóxicos e adubos químicos em um sistema de policultivo, trazendo diversidade na produção de alimentos, incluindo o cultivo de plantas medicinais;

10. Promover a valorização social e geração de renda através da contratação de mão de obra local em todas as fases de produção da TORRE VERDE_ROCINHA;

11. Promover o entrelaçamento cultural e a troca de saberes entre a comunidade da Rocinha e governos, empresas, sociedade civil e universidades.


Cronograma

- Abril à julho 2022: elaboração do projeto executivo da TORRE VERDE; compra dos equipamentos; preparo das mudas; reunião com as diretoras e professores das escolas CIEP Bento Rubião e Luiz Paulo Horta para preparação das atividades acadêmicas e organização da dinâmica de coleta do resíduo orgânico na escola e junto aos pais;

- Junho-agosto: montagem TORRE VERDE;

- Setembro: início do funcionamento pleno da TORRE VERDE;

- Setembro 2022 à março 2023: TORRE VERDE aberta e produzindo energia, substrato (adubo) e comida (horta);

- Abril 2023: término do contrato com a FAPERJ, desmontagem TORRE VERDE e transferência dos equipamentos para o interior do CIEP Bento Rubião.

 

Nossa meta, para além da implantação da TORRE VERDE_ROCINHA, é buscar apoiadores para que este projeto possa se manter no local proposto após o término do prazo contratual com a FAPERJ e multiplicá-lo em outras escolas e instituições pelo Rio de Janeiro e Brasil afora.


> Aqui, o projeto Torre Verde no site de divulgação dos projetos da FAPERJ na Rocinha.



Patrocinador: FAPERJ

Apoio: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais; Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade

Realização: Monica Garcia (ENTRELACES) + Rodrigo Azevedo (AAA)

Parceiros: Atuação Ambiental, Minha Coleta, Impacto Insolar, PYDNA Construções, AF Projetos de Engenharia.

Local: Favela da Rocinha, São Conrado, Rio de Janeiro.

Data: 2022-2023. Em andamento.




Trabalhos relacionados