Home

Prefeitura recebe autorização do Governo Federal para a construção de condomínio totalmente sustentável e inédito no país

Campo Grande foi uma das três cidades selecionadas no Brasil que atenderam a todas as exigências para a participação do projeto, após concurso nacional de sustentabilidade


Dia de vitória para a habitação de interesse social e sustentável em Campo Grande. Ao final da tarde desta quarta-feira (23), o governo federal anunciou a autorização para a construção de um novo condomínio inédito, inovador e totalmente sustentável, em área pública localizada no Bairro Paulo Coelho Machado. A Cidade Morena foi a 2ª selecionada no país após o Concurso de Arquitetura “Habitação de Interesse Sustentável”, promovido pelo Ministério do Desenvolvimento Regional em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), em 2021. A Prefeitura de Campo Grande, por intermédio da Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários (Amhasf), comunica essa conquista que concretiza a constituição de um condomínio protótipo na Capital, após ser uma das melhores ranqueadas no Brasil para receber o projeto que deve comportar aproximadamente 164 novas unidades habitacionais.


Relevância socioambiental – Em Londrina, o ministro do MDR, Rogério Marinho, acrescentou que o condomínio piloto será disruptivo e se tornará um modelo a ser seguido nas demais localidades da federação.


“O que estamos fazendo aqui hoje é emblemático e importante. [O condomínio] é um protótipo em que vamos levar em consideração a eficiência energética, a racionalidade da utilização dos materiais, conforto e acessibilidade. Pretendemos fazer dele um modelo que possa ser utilizado no país como um todo”, frisou Marinho.


Próximo passo – Já autorizada, a Agência Municipal de Habitação e Assuntos Fundiários irá iniciar os processos de contratação do empreendimento habitacional para apresentar o projeto ao agente financeiro, a Caixa Econômica Federal. A diretora-presidente da Amhasf, Maria Helena Bughi, adianta que os trabalhos da Agência já estão a todo o vapor.


“A Diretoria de Habitação e Programas Urbanos da Amhasf, assim como as demais que integram o ambiente sistêmico de atuação da Agência, já está totalmente empenhada em agilizar os trâmites legais para que o agente financeiro conceda, em menor tempo possível, o aporte necessário para a constituição rápida do canteiro de obras”, informou a diretora-presidente da Amhasf.


Maria Helena ainda acrescenta: “esse condomínio representa um ganho imensurável para Campo Grande, não só no âmbito da habitação, mas também no desenvolvimento sustentável, educação socioambiental, integração e desenvolvimento econômico”, complementou.


Entenda o projeto – Em busca de soluções inovadoras e viáveis de modelos de habitações de interesse social, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), premiou em agosto de 2021, os projetos vencedores do Concurso de Arquitetura “Habitação de Interesse Sustentável”. Os três trabalhos selecionados serão implantados como protótipos do Programa Casa Verde Amarela, entre eles, o de Campo Grande – uma das cidades selecionadas que pontuou em todas as condicionantes exigidas para o recebimento do projeto inovador. O concurso teve como critério de seleção quatro eixos: eficiência energética, industrialização, adaptabilidade e custo. O objetivo é que o condomínio na Capital assegure mais conforto ambiental com menos custo e menor consumo de energia e possa ser reproduzido em larga escala, como modelo para outras cidades do país.


Campo Grande – O projeto será revolucionário: fachada ativa em frente à Avenida dos Cafezais com disponibilidade de locação para estabelecimentos comerciais, praça, jardins e pátios interno e externo (de uso comum para a população do entorno) drenantes, horta comunitária, bicicletário, pisos em concregrama e uso de tecnologias para ampliar a eficiência energética do empreendimento, além de sistema de captação de água das chuvas para reuso.


Leia reportagem aqui e conheça o projeto aqui.