Home

Edifício A Noite

Uma janela para Conceição

Uma edificação ícone no Rio de Janeiro, primeiro arranha-céu da cidade com sua estrutura definida pelo calculista Emilio Baumgart, o mesmo que calculou o Ministério da Educação e Cultura (MEC, antigo MES). Foi ocupado, após sua inauguração em 1929, pelo jornal A Noite onde, anos mais tarde, o avô de Rodrigo Azevedo, Otávio Lima, trabalhou por muitos anos até fundar sua própria empresa: Sino Propaganda.

O arquiteto francês Joseph Gire (também responsável pelo hotel Copacabana Palace) e o arquiteto brasileiro Elisário Bahiana foram resposnáveis pelo projeto, inaugurado em1929. Atualmente (2022), o prédio se encontra vazio, abandonado e à venda pelo Governo Federal, seu proprietário, que não teve inteligência, interesse e espirito público suficiente para definir um uso apropriado. E, após três leilões vazios, fica claro que, pelo preço ofertado, ninguém quer adquirir essa jóia arquitetônica. Falta de visão? Sim, falta de visão para o Morro da Conceição!